Qual o maior objetivo hoje da sua empresa?

 Tenho certeza de que você deve estar pensando em inúmeras respostas nesse momento, mas sem dúvidas, todos hão de concordar que obter sucesso financeiro é sem dúvida um dos maiores objetivos por quase todos os empresários.

Que empresa não gostaria de ser referência naquilo que produz? Seja serviços ou produtos?

Hoje, há diversos softwares e processos que apresentam soluções voltadas para economia e o aumento de ganhos em cada processo realizado pela empresa. Pensando nisso, podemos concluir com veemência que há uma constante busca pelo crescimento financeiro e diminuição de percas.

Um dos mercados que mais tem crescido em nossos dias sem dúvida é o mercado E-Commerce, afinal, os empresários que não querem limitar seus ganhos e crescer cada vez mais já vêm investindo em sua loja virtual.

Com esse mercado virtual dando saltos de crescimento cada vez maiores, vários conceitos e métodos vem surgindo, com o objetivo de impulsionar vendas, obtendo maiores lucros e menos gastos. E dois métodos que tem ganhado cada vez mais espaço é o Dropshipping e Cross Docking.

O que é Dropshipping e Cross Docking?

Dropshipping ou estoque na fonte é um modelo de varejo online que trabalha sem haver a necessidade de um estoque próprio. Na prática funciona assim: Sua empresa virtual anuncia produtos de outros fabricantes como se fossem seus. O cliente compra esse produto pelo seu site, mas quem fica responsável por encaminhar esse produto para o cliente é o próprio fabricante. Na modalidade Dropshipping, o vendedor (seu E-Commerce) só intermedia as vendas dos produtos, porém quem fica responsável pela entrega é o fabricante do produto, dispensando a empresa Dropshipping de ter um estoque físico. Exemplos de grandes empresas que trabalham nessa modalidade: Amazon, Mercado Livre, eBay e Aliexpress.

O Cross Docking ou Cross-Docking funciona quase que da mesma forma que o Dropshipping, só que ao invés do fabricante ficar responsável pela entrega do produto, como é no caso do dropshipping, o Cross Docking que encaminha o produto para o cliente. Na prática funciona assim: O Distribuidor ou Fabricante compartilha seu estoque e gera atualizações diárias com o varejista/loja. O varejista aplica sua margem de lucro em cima do produto e disponibiliza para venda na sua loja virtual; O consumidor visualiza o pedido na loja virtual do varejista/loja e faz a compra desse produto; O varejista/loja realiza o pedido do produto na distribuidora ou fabricante que por sua vez, emite a Nota Fiscal desse produto e o encaminha para o varejista/loja; O varejista recebe esse produto e emite a nota fiscal para o consumidor e encaminha o produto para ele.

Ambos os métodos não trabalham com estoque próprio e nem físico.  

Abaixo, listarei o porquê desses dois métodos estarem ganhando cada vez mais adeptos e sendo um grande case de sucesso.

Não é preciso investir muito para trabalhar com dropshipping ou cross docking

Por se tratar de vendas que E-commerce que não trabalham com estoque físico, você não precisa gastar dinheiro com aluguéis de galpão ou de um local para armazenar produtos, até porque nessa modalidade você trabalha com estoque do fabricante e não com estoque próprio. Não há a necessidade de adquirir uma grande quantidade de mercadoria de estoque, que é um dos maiores gastos que o empresário possui quando decide abrir um negócio. Ao invés de investir em compras de mercadorias e local de armazenamentos para elas, o investimento é mais voltado para a manutenção do e-commerce, publicidade e suporte em vendas, que por sua vez, saem mais baratos comparados com as compras de produtos e locais de armazenamento.

Ter um negócio online é mais fácil

Uma das maiores dificuldades encontradas por empreendedores ao abrir um negócio é definir o público-alvo. Graças as ferramentas utilizadas por esse ambiente a comunicação com o público-alvo são mais fáceis, já que milhares de usuários utilizam todos os dias sites e aplicativos como Facebook e Instagran, que são os maiores meios de comunicação e divulgação dos e-commerce. E com o Dropshipping e cross docking você não lida com o estoque físico e no caso do cross docking a mercadoria apenas passa por você, facilitando o processo de entrega e tendo agilidade em ambos. “Então, depois da entrega, sua responsabilidade na operação se resumirá em observar números e dar continuidade ao ciclo, gerando mais e mais vendas”, segundo o artigo publicado pela escoladeecommerce.com.  

Possibilidade de oferecer mais opções de Produtos

Como você trabalha com os estoques dos fabricantes/fornecedores e não precisa gastar comprando mercadoria, você pode oferecer mais opções de produtos no seu e-commerce, criando até mesmo uma possibilidade de testar novos mercados.

Maior Escalabilidade

No Cross Docking sua empresa cresce mais rápido, porque “Como a responsabilidade de oferta e envio é do fornecedor, a loja pode escalar as vendas rapidamente e sem enfrentar pressão no fluxo de caixa. Basta que a plataforma na qual as vendas foram concretizadas seja capaz de comportar o aumento nos acessos e no volume de pagamentos”. Segundo um artigo da olist blog.

Já na Dropshipping, o trabalho não aumenta de acordo com que as vendas crescem, ficando mais fácil para o lojista acompanhar seu e-commerce e se dedicar mais, aumentando assim a margem para escalabilidade de vendas.

Em ambos os processos, o acompanhamento da entrega do produto é realizado pelo estabelecimento para garantir a satisfação do seu cliente.

0 Percas de Produtos

Quem trabalha com estoque de produtos sabe que existem inúmeros prejuízos com mercadoria. Vencimento de produtos na prateleira, furto ou extravio de mercadoria, avarias… são inúmeros os protocolos e métodos utilizados pelos estoquistas para diminuírem esses prejuízos. Com os métodos Dropshipping e Cross Docking, esse problema nem passará pela sua cabeça, já que quem irá gerir o estoque é o próprio fabricante do produto.

Se reduzir custos operacionais e aumentar suas vendas é o seu objetivo, trabalhe com quem entende disso.

Comentários

comentários


Conheça o ERP da Nortesys

Sobre o autor

Jamila da Silva Nascimento Afonso

Instrutora do Centro de Ensino NORTESYS, Graduada em Ciências da Computação, Pós Graduada em Matemática e Estatísticas.