Pode parecer bobeira a pergunta que intitula esse artigo, mas você já se fez essa pergunta?

Nós já estamos acostumados a desde sempre sabermos que 1Kg é 1Kg, ou que essa unidade de medida pode ser representada pelo o somatório de 1.000 g (mil gramas), ou 1.000.000 mg (um milhão de miligramas) ou até mesmo 1.000.000.000 µg (um bilhão de microgramas) e assim por diante, mas é sobre essa última unidade de medida citada, a micrograma, que abordaremos a importância e a justificativa desse tema.

Quem é responsável por essas definições de medidas que conhecemos?

É a BIPM (Bureau International des Poid et Mensures) que na tradução livre significa: Secretaria Internacional de Pesos e Medidas. O BIPM é uma organização internacional estabelecida pela Convenção do Metro, através da qual os Estados Membros atuam juntos em assuntos relacionados à ciência de medição e padrões de medição, sendo uma das três organizações estabelecidas para manter o Sistema Nacional de Unidades (SI).

Mas qual o nome da ciência que se destina ao estudo da medição?

É a Metrologia, que segundo o próprio BIPM é definida como a ciência da medição, abrangendo determinações experimentais e teóricas em qualquer nível de incerteza em qualquer campo da ciência e da tecnologia.

A ciência de medição não é, no entanto, puramente reservada aos cientistas. É algo de importância vital para todos nós. A intrincada, mas invisível rede de serviços, fornecedores e comunicações dos quais todos dependemos depende da metrologia para sua operação eficiente e confiável. Por exemplo:

  • O sucesso econômico das nações depende da capacidade de fabricar e comercializar produtos e componentes precisamente fabricados e testados;
  • Sistemas de navegação por satélite e correlação de tempo internacional tornam possível a localização precisa – permitindo a rede de sistemas de computador em todo o mundo e permitindo que a aeronave aterrisse com pouca visibilidade;
  • A saúde humana depende criticamente da capacidade de fazer diagnósticos precisos e nos quais a mensuração confiável é cada vez mais importante;
  • Os consumidores precisam confiar na quantidade de gasolina fornecida por uma bomba.

Todas as formas de medição física e química afetam a qualidade do mundo em que vivemos. Devido à necessidade de um acordo internacional sobre questões relativas à metrologia, um tratado internacional conhecido como a Convenção do Metro foi estabelecido em 1875. Este tratado fundou o BIPM e continua a ser a base do acordo internacional sobre unidades de medida. (BIPM, 2017)

A importância das medições para o nosso desenvolvimento

Foi importante discorrer sobre esses assuntos para entendermos a importância das medições no nosso cotidiano, e sabermos que só chegamos tão longe graças as medições. Há relatos que aprendemos a medir antes mesmo de aprendermos a escrever, o que nos possibilitou a desenvolver a contagem, e por isso utilizamos o sol para contar o tempo e baseamos unidades de medidas de comprimento e peso de outros objetos terrestres. Foram as medições que nos tornaram negociadores, construtores, desenvolvedores, engenheiros e cientistas.

Mas como tudo evolui, as buscas por melhores medições também vem sendo perseguida e tem aumentado a cada nova invenção.

A real medição do Quilo

Atualmente, o “quilo” é definido por uma massa de um cilindro de 4 centímetros de platina e irídio fabricado em Londres. A peça está guardada pela Secretaria Internacional de Pesos e Medidas (BIPM), em um cofre na França, desde 1889.

Contudo, esse “quilo” original já perdeu cerca de 50 microgramas. Isso vem ocorrendo porque o objeto foi perdendo átomos ou absorvendo moléculas de ar, durante mais de 100 anos.

Como todas as balanças do mundo são reguladas de acordo com esse quilo original, quando calculam o peso, acabam gerando dados incorretos.

Como então será resolvido esse “problema” e definido o “novo Quilo”?

A nova unidade do Kg será definida com o uso de uma balança chamada de Kibble. A balança Kibble assume uma igualdade de dois perfis magnéticos medidos nas fases de pesagem e velocidade. Esse instrumento permitirá comparar a energia mecânica com a eletromagnética, tendo seu poder de atração definido por correntes elétricas, sendo assim a quantidade de energia elétrica necessária para neutralizar a força do objeto, definirá a nova unidade de peso.

Qual o impacto disso na nossa vida?

Fique tranquilo, essas mudanças não irão impactar diretamente as nossas vidas e práticas cotidianas como a ida à padaria, restaurantes e supermercados, assim garante o Inmetro. Embora essas mudanças não afetem o nosso dia a dia, elas serão de extrema importância para as pesquisas científicas que exigem um alto grau de precisão em seus cálculos, para a melhoria da comercialização no mercado internacional e dos produtos de alta tecnologia.

A razão principal da mudança que ocorrerá a partir de maio de 2019 é relacionar essas unidades a constantes fundamentais e não arbitrárias, como tem sido feito até hoje.

Nós não mais precisaremos confiar em objetos físicos para realizar medições precisas, e esse é um dos grandes avanços dos estudos da metrologia. Pela primeira vez, todas as unidades de medição do mundo serão definidas com exatidão por meio das leis fundamentais do universo.

Com isso, qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo poderá medir com exatidão a massa e outras diversas unidades de medidas, assim como já fazemos com o tempo e a distância.

Finalizo esse artigo com a frase de um vídeo institucional da BIPM: “Chegamos tão longe! E se a história for uma indicação do futuro, nossas novas medições nos levarão mais longe do que jamais imaginamos.”

Se você gostou desse artigo, comente e compartilhe com os amigos!

Um forte abraço e até a próxima!

Comentários

comentários


Conheça o ERP da Nortesys

Sobre o autor

Robson Lima

Mestrando em Ciências Contábeis - Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Graduado em Ciências Contábeis pelo Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (2014). Especialista em Contabilidade e Direito Tributário no Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (2016). Professor Assistente do curso de Ciências Contábeis (2017-Atual) do Centro Universitário Tocantinense Presidente Antônio Carlos (UNITPAC). Atua como Consultor Contábil e Instrutor de Aprendizagem na Nortesys Soluções em tecnologia. Tem experiência nas áreas de Gestão de Varejo e Gestão de Estoques. Atuante nas áreas de consultoria empresarial e gestão dos custos operacionais.